Home / Notícias e Eventos / Eletrosul está perto de acordo com chinesa
Quinta, 02 Março 2017 00:00

Eletrosul está perto de acordo com chinesa

Avalie este item
(0 votos)

A Eletrosul, subsidiária da Eletrobras, deve fechar este mês a transferência de participação em um conjunto de projetos de transmissão de energia na região Sul para a chinesa Shanghai Electric, segundo informação de uma fonte com conhecimento direto do assunto. Os empreendimentos, que envolvem 2 mil quilômetros de linhas de transmissão e oito novas subestações, vão exigir investimentos de cerca de R$ 3 bilhões.

"O caso das linhas da Eletrosul deve ser [fechado] agora, no começo de fevereiro", afirmou ao Valor uma fonte com conhecimento direto do assunto. Segundo ela, as negociações estão em estágio avançado e só não foram concluídas até o momento devido ao feriado do ano novo chinês, que começou no sábado, 28 de janeiro.

Na prática, explicou a fonte, a negociação não envolve entrada de recursos no caixa da Eletrosul. Por outro lado, a estatal não terá mais a obrigação de fazer os investimentos de R$ 3 bilhões. "Eles [Shanghai Electric] reconhecem os valores de investimentos. E eles seguem para fazer a obra", disse ela, explicando que a subsidiária da Eletrobras poderá ficar com uma fatia minoritária nos projetos.

Procurada, a Eletrosul informou que "as negociações prosseguem com a empresa chinesa Shanghai Electric para a viabilização dos empreendimentos de transmissão que integram o Lote A do leilão 004/2014 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)".

A operação é um dos quatro modelos de desinvestimentos estabelecidos pela holding Eletrobras, que prevê alcançar R$ 4,6 bilhões com venda de ativos neste ano. Segundo a fonte, a Eletrosul possui outro projeto, com compromisso de investimento de R$ 300 milhões e que poderá ser alvo de negociação semelhante.

Em recente entrevista ao Valor, o presidente da Chesf, outra subsidiária da Eletrobras, Sinval Gama, afirmou que a empresa também busca esse modelo para tirar do papel alguns projetos de geração e transmissão. "Temos alguns projetos que não começamos, estamos atrasados, mas que vislumbramos que podemos desmobilizá-los, arrumar sócios e nos tirar da pressão de ter que fazê-los", disse o executivo na ocasião. A Chesf tem compromisso de investimentos de R$ 2 bilhões em empreendimentos de geração e transmissão em 2017.

Além da transferência de ativos com compromissos de investimentos, as outras três modalidades de desinvestimentos da Eletrobras são a privatização das distribuidoras do grupo, prevista para ocorrer no último trimestre de 2017; o exercício do "tag along" (extensão do prêmio de controle a minoritários) em sociedades de propósito específico (SPEs) nas quais o acionista majoritário negocie a venda de sua fatia; e a venda de imóveis administrativos do grupo estatal.

Sobre a estratégia de tag along, a expectativa, segundo a fonte, é que a venda da usina de Santo Antônio ocorra ainda no primeiro trimestre. Segundo informações de mercado, a State Power Investment Corporation (SPIC), uma das cinco maiores geradoras chinesas, estuda a aquisição do controle da Santo Antônio Energia, dona da hidrelétrica, de 3.568 megawatts (MW) de capacidade. O Valor apurou que a ideia da Eletrobras é exercer o tag along, por meio da participação de 39% de Furnas no projeto. Os demais sócios são Caixa FIP Amazônia Energia (20%), Odebrecht (18,6%), SAAG Investimentos (12,4%) e Cemig (10%).

 

Ler 290 vezes Última modificação em Sexta, 03 Fevereiro 2017 12:46

img-rodape

451
footer-logo