Home / Notícias e Eventos / Planejamento da transmissão prevê 18,4 mil km de novas linhas até 2023
Quinta, 06 Setembro 2018 00:00

Planejamento da transmissão prevê 18,4 mil km de novas linhas até 2023 Destaque

Avalie este item
(0 votos)

Canal Energia - 06/09/2018

O Plano da Operação Elétrica (PEL) prevê 81 linhas de transmissão para o período de 2018 a 2023, em sua ampla maioria, em 500 kV, perfazendo 18.400 quilômetros. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a entrada desses empreendimentos permitirá o máximo aproveitamento possível da energia do Sistema Interligado Nacional (SIN) e garantirá a máxima transferência de energia para os subsistemas submetidos a condições hidrológicas críticas.

Desse total, 56 linhas (13.000 km) impactam as interligações Norte/Nordeste/Sudeste/Centro-Oeste e 25 (5.400 km) as interligações Sul/Sudeste. Além disso, está prevista a entrada em operação de mais um Bipolo em 800 kV no SIN, associado ao escoamento da geração da usina hidrelétrica de Belo Monte, ampliando a capacidade de transferência de energia do subsistema Norte para o subsistema Sudeste.

Segundo o ONS, os reforços proporcionarão aumentos significativos nos limites das interligações. Os intercâmbios entre as regiões Sul e Sudeste terão ganhos de até 2.300 MW médios no recebimento pelo subsistema Sudeste, 4.400 MW médios no recebimento pelo subsistema Sul e 1.200 MW médios no fornecimento pelo subsistema Sul.

Do mesmo modo, a entrada do Bipolo Xingu – Terminal Rio e dos demais empreendimentos de interligação das regiões Norte, Nordeste e Sudeste / Centro-Oeste, possibilitarão, por exemplo, aumento da capacidade de exportação do subsistema Norte de até 7.600 MW médios, significando um ganho da ordem de 90% quando comparado ao limite atual de 8.700 MW médios.

Apesar da entrada desses empreendimentos, o ONS informou que "haverá necessidade de geração térmica devido a restrições elétricas no horizonte envolve as usinas Candiota 3 e Sepé Tiaraju, Rio Grande do Sul, Jorge Lacerda, em Santa Catarina, Governador Leonel Brizola e Barbosa Lima Sobrinho, no Rio de Janeiro, bem como as UTE da região de Manaus, no Amazonas e a UTE Sykué, na Bahia. Os maiores montantes estão previstos para o verão 2020/2021, chegando a valores de 1.970 MW nas cargas média e pesada". Os dados foram apresentados ao Conselho de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) em reunião realizada em 1º de agosto.

Expansão anual

Para o ano 2018 está prevista expansão de 5.739 MW de capacidade instalada de geração, 3.262 km de linhas de transmissão e 11.181 MVA de transformação na Rede Básica. De janeiro a julho, entraram em operação 3.202 km de linhas e 10.146 MVA de transformação na Rede Básica.

 

Ler 14 vezes

img-rodape

451
footer-logo BR